«

»

abr 27

A Missão Cassini Vai Terminar Após Vinte Anos no Espaço

Após vinte anos no espaço, e mais de trinta anos após o início dos estudos e projetos, a nave espacial Cassini vai encerrar sua missão a Saturno, com um Grand Finale que se iniciará dia 26/04/2017.

Nesse dia, a nave efetuará uma mudança de órbita que a levará a percorrer o espaço entre os anéis de Saturno e a superfície do planeta. Durante 22 órbitas, a nave se aproximará cada vez mais da superfície, até que, em 15/09/2017, se desintegrará na atmosfera de Saturno.

A razão para isso é que o combustível para manobras da nave está acabando, e os administradores do projeto decidiram evitar que a nave caia e contamine alguma das luas que podem ter algum tipo de vida, ou vir a ter, no futuro.

Assim terminará uma das missões mais longas e mais prolíficas efetuadas pela NASA, em colaboração com a ESA (European Space Agency), a ISA (Italian Space Agency) e diversos colaboradores menores.

A partir de discussões iniciadas em 1983, o projeto foi negociado e elaborado até o lançamento em 1997. Milhares de pessoas trabalharam no projeto ao longo dos anos, incluindo um time de 260 cientistas. Várias delas, dentre as quais a Cientista Chefe, dedicaram mais de 30 anos de sua vida profissional ao projeto.

Clique aqui https://www.youtube.com/watch?v=xrGAQCq9BMU para ver um vídeo curto da NASA com um resumo da missão e explicação sobre o Grand Finale.

A órbita da Cassini exigiu várias passagens próximo a Vênus, Terra e Júpiter, para acelerar o suficiente e chegar em Saturno, ao final de 7 anos de viagem. Nessas passagens, a Cassini efetuou diversas observações cientificas importantes sobre Vênus e Júpiter.

Após chegar a Saturno, em 30 de junho de 2004, a Cassini passou a explorar o planeta e diversas de suas luas, especialmente Japeto, Titã e Encelado.

Essas explorações renderam descobertas científicas importantes, e mudaram os paradigmas anteriores sobre a composição e a estrutura de Saturno, seus anéis e suas luas.

Na visita a Titã, a maior das luas, a nave disparou um módulo exploratório, o Huygens, que desceu lentamente até a superfície. Suas medições e análises permitiram aos cientistas aprender muito sobre a composição da atmosfera, meteorologia, geografia e geologia de Titã.

Uma das principais descobertas foi a existência de grandes lagos, compostos por etano e metano líquidos, e de um oceano subterrâneo composto por amônia e água líquidas. Além disso, o relevo do pequeno planeta se mostrou mais acidentado do que o esperado, quase sem crateras.

A visita a Encelado mostrou, para surpresa dos cientistas, oceanos de água líquida na superfície, vapor de água como um dos principais componentes de sua atmosfera, e temperaturas muito acima das esperadas. Parte do vapor escapa de Encelado e é um dos principais constituintes de um dos anéis de Saturno.

Os dados sobre Encelado e Titã deixam aberta a possibilidade de vida nesses pequenos planetas, o que já gerou novos projetos para continuar sua exploração no futuro próximo.

Muita informação nova foi recolhida, também, sobre a origem, a composição e a estrutura dos anéis e do próprio Saturno.

Os grandes volumes de informações recolhidas e as descobertas científicas já produzidas justificam amplamente o custo de aproximadamente US$ 3,3 bilhões da missão, como um todo.

Saiba mais sobre a missão Cassini

O link https://saturn.jpl.nasa.gov/the-journey/timeline mostra a cronologia da missão, com os principais eventos ocorridos desde o lançamento de Cabo Canaveral em 15/07/1997. É possível clicar nos eventos e ver mais detalhes sobre cada um deles.

O link https://saturn.jpl.nasa.gov/ leva ao site da Missão Cassini, que é extremamente bem feito e user friendly, e bonito de ver. É recomendado para quem quiser se aprofundar mais.

O link https://pt.wikipedia.org/wiki/Cassini-Huygens leva ao verbete da Missão na Wikipedia.

Fotos tiradas já após a redução de altitude para passar abaixo dos anéis: https://www.nasa.gov/mission_pages/cassini/images/index.html

 


Sobre o Autor:

Dr. Mauro Taschner

Sou formado em engenharia pelo ITA, em 1966. Mas desde criança fui apaixonado por aviões, foguetes, exploração espacial, astronomia e ciência em geral. Sempre estudei muito a respeito, até hoje, em paralelo com minha carreira como professor, consultor e executivo de empresas. E, desde cedo, tomo muito café. Minha experiência de bancada é mais ligada à mecânica, oficina, pouco laboratório. Mas sempre muito café.

 

Post Relacionados

Não há posts relacionados

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Share